Home » Artigos

Artigos - Administração Financeira

O que é DRE?

O que você vai ver neste artigoPara que serve o DRE?Como fazer o DRE A sigla DRE significa Demonstrativo do Resultado do Exercício ou Demonstração de Resultado do Exercício. O DRE é um relatório contábil que apresenta, de forma resumida, as operações de uma empresa em determinado período e o resultado apurado, que pode ser de lucro ou prejuízo. Para se chegar a esse resultado, o DRE detalha os valores para os grupos de receitas, custos, despesas, lucros e impostos. Pela legislação vigente, todas as empresas são obrigadas a manter uma contabilidade regular, o que inclui a elaboração do DRE. A regra se aplica também a quem se enquadra no Simples Nacional. A única exceção são as empresas do MEI (Micro Empreendedor Individual. O DRE é gerado pelo contador da empresa. Para que serve o DRE...[Continue Lendo]

O que é Custo da Mercadoria Vendida (CMV)?

O que você vai ver neste artigoComo calcular o CMVExemplo de cálculo do CMV de um produtoCMV nos relatórios de contabilidade O Custo de Mercadoria Vendida (CMV) é um indicador financeiro bastante útil para comerciantes. Ele calcula o custo das mercadorias vendidas com base não apenas no que foi pago por elas, mas incluindo também os estoques. O CMV permite encontrar o lucro bruto de uma transação comercial, que é diferente da receita obtida com a venda do produto. O lucro bruto também não deve ser confundido com o lucro líquido, uma vez que outros descontos incidirão sobre o valor apurado após o cálculo do CMV. Os impostos, as despesas administrativas, operacionais e financeiras e as despesas com vendas, incluindo a comissão dos vendedores, não entram na fórmula. Calcular o CMV permi...[Continue Lendo]

O que é Ponto de Equilíbrio Financeiro?

O que você vai ver neste artigoO que é Ponto de Equilíbrio Financeiro?Fórmula do Ponto de Equilíbrio Financeiro O que é Ponto de Equilíbrio Financeiro? O Ponto de Equilíbrio Financeiro é um índice percentual que marca o ponto em que as vendas criam receitas que se igualem as despesas e custos de uma operação. A partir do ponto de equilíbrio a companhia passa a auferir lucro. Abaixo dele, está operando em prejuízo. É conhecido também pelo seu nome em inglês Break Even Point (BEP) e deve indicar qual o faturamento mínimo para a empresa cobrir seus gastos, passando a ter rendimentos positivos. O cálculo do ponto de equilíbrio permite ao empresário saber qual o faturamento mensal, ou anual, mínimo para cobrir despesas fixas e variáveis. É estimado geralmente na fase de planejamento de um...[Continue Lendo]

O que é margem de contribuição?

O que você vai ver neste artigoPara que serve a margem de contribuição?Como calcular a margem de contribuição A margem de contribuição é um indicador que mostra o quanto sobra da receita com as vendas de produtos ou serviços para pagar os custos fixos do negócio e gerar lucro. Também chamada de ganho bruto ou de lucro bruto, a margem de contribuição é calculada subtraindo-se da receita a soma entre as despesas e os custos variáveis. Os custos e as despesas variáveis são aqueles que têm relação direta com o volume de venda do produto. Ou seja, quanto mais produtos forem vendidos, maiores serão esses gastos. Para os custos, são exemplos a matéria-prima, a água e a energia utilizadas na fabricação. Já os impostos que incidem sobre a venda e a comissão paga aos vendedores são exemplos de...[Continue Lendo]

O que são custos fixos e variáveis?

O que você vai ver neste artigoComo diferenciar custos fixos e variáveis?Como identificar os custos fixos e variáveis de uma empresa?Importância de se conhecer custos fixos e variáveisExemploDiferença entre custo e despesa Os custos fixos de uma empresa são aqueles que são menos suscetíveis a apresentar variações de acordo com o volume de produção ou de vendas. Já os custos variáveis correspondem aos gastos que aumentam ou diminuem de forma proporcional ao nível de atividade. Em geral, os custos fixos são gastos como o aluguel do imóvel ou os planos fechados de telefonia e internet. Esses itens possuem valores que se mantêm estáveis todos os meses, independentemente do fato de a empresa produzir ou vender mais ou menos.Também são exemplos de custos fixos os gastos com limpeza, segura...[Continue Lendo]

O que é custeio por absorção?

O que você vai ver neste artigoComo calcular o custeio por absorção?ExemplosVantagens e desvantagens do custeio por absorçãoDiferença entre custeio por absorção e custeio variável O método de custeio por absorção, também chamado de custeio integral, é utilizado pelas empresas de forma a considerar todos os custos de produção, sejam eles diretos ou indiretos, fixos ou variáveis. Além de considerar os custos diretamente relacionados aos produtos, como as matérias-primas, o custeio por absorção também faz o rateio de outros gastos com a produção – como o aluguel do imóvel onde os produtos são fabricados e a manutenção das máquinas, por exemplo. Isso permite estabelecer o custo unitário total dos produtos. Por considerar também os custos fixos, o custeio por absorção permite verificar o ...[Continue Lendo]

O que é substituição tributária

O que você vai ver neste artigoComo funciona a substituição tributária em ICMSExemplo de como é calculado o ICMS/STQuem paga na substituição tributária A substituição tributária, também conhecida por “ST”, é uma forma de tributação brasileira em que a obrigação do pagamento de um imposto é trocada para outro contribuinte. Este é um método comum quando utilizado no imposto ICMS, mais conhecido como ICMS/ST, e aplicado sobre diferentes produtos em que se tenham muitas fases de produção e distribuição, simplificando a sua cobrança. Um outro imposto que a legislação permite realizar a substituição tributária é o IPI. Como funciona a substituição tributária em ICMS A substituição tributária modificou a forma como o imposto ICMS é recolhido, já que atribui toda a cobrança sobre...[Continue Lendo]

O que é depreciação?

O que você vai ver neste artigoComo é contabilizada a depreciação?Impacto no cálculo de impostosRegras para registrar a depreciaçãoValor residualComo é calculada a depreciação?Depreciação linearDepreciação da soma dos dígitosO que é depreciação acelerada? A depreciação é a perda de valor de um bem decorrente de seu uso, do desgaste natural ou de sua obsolescência. Na contabilidade das empresas, essa depreciação é registrada como um percentual do valor contábil do bem que é descontado ao longo do tempo, de acordo com sua expectativa de vida útil. A depreciação se aplica no caso dos bens que compõem o ativo permanente da empresa, aqueles que foram adquiridos com a expectativa de serem usados por mais de um ano. Em geral, o ativo permanente costuma corresponder ao ativo imobiliário, ou ...[Continue Lendo]

Vocabulário tributário

Reunimos os termos mais usados em tributação para o empresário e gestor contábil. Alíquota: percentual que será aplicado sobre a base de cálculo para apurar o valor de determinado tributo. Alisão Fiscal: ações legais que visam diminuir o pagamento de tributos. Não pode ser confundido com sonegação (ou evasão), pois a elisão é o uso exclusivo de ferramentas lícitas, admitidas na legislação. Ano calendário ou Ano base: Período de 12 meses (1º de janeiro a 31 de dezembro) em que foram registrados os rendimentos e despesas do contribuinte. Base de Cálculo: montante sobre o qual se aplica a alíquota para determinar o valor do tributo devido. CGC/MF: Cadastro Geral de Contribuintes do Ministério da Fazenda. Substituído pelo CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica), da Receita Federal, identif...[Continue Lendo]

Vocabulário contábil

Saiba o que significam os termos mais usados na contabilidade com o vocabulário contábil. Aviso Prévio: notificação de desligamento da relação de trabalho pela parte que rescinde, seja o empregado ou o empregador. Se o rompimento for por parte da empresa, deve ser sem justa causa. Geralmente são de 30 dias, tempo para o contratante encontrar outra pessoa para preencher a vaga ou o empregado encontrar outra posição no mercado de trabalho. Balanço de Abertura: documento que demonstra a contabilidade dos saldos de ativo e passivo quando há perícia ou auditoria. É usado em empresas que: (I) antes faziam a contabilidade apenas com o Livro Caixa; (II) optantes do Simples ou Lucro Presumido; (III) empresas inativas por mais de 5 anos; (IV) tiveram a escrituração contábil desclassificada pela fisc...[Continue Lendo]

Seja pequeno e sobreviva

A complexidade e os custos tributários se tornaram tão grandes com o passar do tempo que muitas empresas, principalmente as pequenas, sequer conseguiam cumprir as exigências quanto às obrigações tributárias, mesmo quando queriam fazê-lo. Muitos empresários optavam pela informalidade como defesa. Há alguns anos o problema foi observado pelo Governo Federal que criou o Regime Simples como uma opção de regime que viria a beneficiar muitas das pequenas empresas. O Simples original sofreu uma série de mudanças ao passar do tempo e, mesmo não se mantendo atualmente tão simples como o próprio nome sugere, ainda é o regime tributário com incidência da menor carga tributária. A grande maioria das empresas que se enquadra nos pré-requisitos legais opta por esse regime. A opção pelo Simples trouxe um...[Continue Lendo]

O que é Paraíso Fiscal?

É considerado paraíso fiscal qualquer país que não tribute a renda, ou que tenha tributos sobre a renda inferiores a 20% (segundo as regras brasileiras – para outros países, a taxa é de 15%). Porém, ao contrário do que pode parecer, os paraísos fiscais podem ser utilizados de forma lícita. O contribuinte tem o direito de procurar formas legais de diminuir a carga tributária, assim como esses países chamados de paraísos fiscais tem o direito de estruturar sua economia de tal modo a atrair o capital estrangeiro. Cabe então diferenciar os conceitos de elisão fiscal e de evasão fiscal. Elisão fiscal é uma forma de diminuir o pagamento de tributos através de vários sistemas legais, realizando um planejamento tributário, enquanto evasão fiscal é a omissão ou a esquiva de efetuar o pagamento dos ...[Continue Lendo]

  • 1
  • 2
  • 4